quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Confusão e quebra-quebra na Câmara dos Vereadores de Agrestina


Briga generalizada entre vereadores e parte da população deixou câmara destruída

Paulo Sargento é presidente da Câmara e mostra Câmara revirada por conta da confusão /

Paulo Sargento é presidente da Câmara e mostra Câmara revirada por conta da confusão

O clima de tensão política cresce a cada dia em Agrestina, no Agreste do Estado, e na segunda (30) à noite, antes do início da sessão da Câmara de Vereadores, “pegou fogo”. Os vereadores Ivan Veras (PT, líder do governo), Zito da Barra (PP, vice-presidente da Casa), Gordo de Zelito (PP) e Marciano Filho (PTB) praticamente foram as vias de fato depois que Zito entregou ofício convocando Ivan a depor na Comissão Processante, que tem como objetivo cassar o mandato da prefeita Carmem Mirian (PT) – acusada pela oposição de não enviar corretamente o duodécimo (orçamento) do legislativo.

Ao receber o ofício, Ivan Veras irritou-se porque, segundo disse, no segundo parágrafo do texto foi colocada a informação de que se ele não depor, pode ser cassado. “Eu não agredi ninguém, apenas disse que aquele ofício me convocando era uma palhaçada. Como ele vem fazer uma convocação dessas e, além de me ameaçar, esquece que eu sou o relator da Comissão Processante? Eles estão querendo criar caso e aparecer na mídia, pois não tem nada de concreto para cassar a prefeita”, afirmou.

Segundo Ivan, Marciano Filho o teria agredido com um empurrão quando ele se aproximou de Zito da Barra, dizendo que rasgaria o ofício. Depois, Marciano e Gordo de Zelito foram brigar com a população no plenário.

Segundo o presidente da Câmara, Paulo Sargento, o fato acabou gerando prejuízo ao Legislativo, já que dezenas de cadeiras foram quebradas e algumas levadas pela população. “Foi briga generalizada com simpatizantes dos dois grupos brigando e atirando cadeira para todos os lados”, relatou.

Seis pessoas são espancadas dentro de casa em Buíque - Assista o vídeo


Seis pessoas da mesma família forma vítimas de uma terrível violência. O fato aconteceu na  comunidade do Sítio Palmeirinha no município de Buique  no início da noite de ontem. Segundo informou a polícia, três elementos armados e encapuzados invadiram uma residência naquele sítio em busca de um dinheiro que eles imaginavam que as vítimas teriam recebido da venda de um gado.

Depois de tomar conhecimento que a família ainda não tinha recebido nenhum valor, os bandidos, enfurecidos passaram a agredir as vítimas. Maria de Lourdes Barros Feitosa, de 64 anos, foi alvejada com um tiro de espingarda calibre 12, no pescoço.

Todos estavam muito feridos e foram socorridos para o hospital Regional de Arcoverde, sendo que Maria de Lourdes, Sebastiana Barros Aguiar e José Roberto Barros Feitosa foram encaminhados para Recife.

Somente Sebastião da Silva Feitosa foi liberado depois do atendimento médico. Os bandidos fugiram levando cartões de aposentadoria. A polícia já iniciou as investigações para tentar capturar os assaltantes que não foram identificados. (confira o vídeo)
Com informações do 3º BPM


TOME UMA ATITUDE CONTRA O MOSQUITO

CONFIRA FOTOGRAFIAS DE UMA DAS SETE MARAVILHAS DE PERNAMBUCO