"NOSSOS PARCEIROS SEMPRE EM PRIMEIRO LUGAR"

"NOSSOS PARCEIROS SEMPRE EM PRIMEIRO LUGAR"

IBM Buíque Parabéniza ao Pr. Ginaldo Gomes pelo seu aniversário

IBM Buíque Parabéniza ao Pr. Ginaldo Gomes pelo seu aniversário

Buíque

Ipê-branco na Praça Major França em Buíque

Ipê-branco (Tabebuia roseoalba) é uma árvore brasileira, descrita inicialmente em 1890 como Bignonia roseo-alba.
Seus nomes, tanto científico quanto popular, vêm do tupi-guarani: ipê significa "árvore de casca grossa" e tabebuia é "pau" ou "madeira que flutua".
É uma árvore usada como ornamental, nativa do cerrado e pantanal brasileiros.
É conhecida como planta do mel no Brasil e Argentina.

Características morfológicas
Alcança de 7 a 16 metros de altura, com tronco medindo de 40 até 50 cm de diâmetro.
Dotado de copa alongada, possui um tronco ereto medindo de 40 a 50 cm de diâmetro, com casca suberosa e superficialmente fissurada.
Possui folhas compostas trifolioladas.
Ocorrência
Ocorre nas florestas estacionais semi-deciduais e matas semi-decíduas, na Bolívia, Brasil (Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Fernando de Noronha, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro e norte de São Paulo), Paraguai, Peru e Colômbia.
Em Buíque foram plantados Ipês branco e roxo, que estão visivelmente expostos na praça Major França.
Fenologia
Floresce principalmente durante os meses de agosto-outubro com a planta totalmente despida da folhagem. Os frutos costumam amadurecer a partir do mês de outubro.
Trata-se de um tipo de ipê muito apreciado por sua beleza e exuberância, ficando totalmente branco durante um período muito curto, pois sua floração não dura mais do que dois dias (em geral, por volta do mês de agosto). Às vezes repete a floração por volta de setembro ou outubro, porém com menor intensidade.
Ecologia
O ipê-branco é uma planta decídua, heliófita e seletiva xerófila, característica de afloramentos rochosos e calcários da floresta semi-decídua. Ocorre tanto no interior da mata primária como nas formações secundárias.














O município de Buíque começou a ser povoado em 1752, quando ficou conhecido como Campos de Buíque. O nome do local tem origem na linguagem Tupi e significa "Lugar de Cobras". Os naturais de Buíque têm outra versão para a origem do nome - os índios que habitavam essa região utilizavam uma trombeta cujo som produzido se assemelhava ao nome da cidade.Buíque foi elevado à categoria de vila em 1854, com a denominação de Vila Nova do Buíque, desmembrado de Garanhuns. Em 19 de Dezembro de 1874, Buíque, foi elevada à categoria de cidade em 1899. GEOGRAFIA - Localiza-se a uma latitude 08º37'23" sul e a uma longitude 37º09'21" oeste, estando a uma altitude de 798 metros. Sua população estimada em 2009 era de 53.272 habitantes. Possui uma área de 1345 km². O escritor alagoano Graciliano Ramos foi um morador célebre da cidade. O município está incluído na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro, definida pelo Ministério da Integração Nacional em 2005[6]. Esta delimitação tem como critérios o índice pluviométrico, o índice de aridez e o risco de seca. RELEVO - Grande parte do municípío está localizado no Planalto da Borborema. No centro do município há áreas inseridas na Depressão Sertaneja e a noroeste do município, áreas inseridas nas Bacias Sedimentares. HIDROGRAFIA - O município de Buíque está nos domínios da Bacia Hidrográfica do Rio Ipanema. Os principais tributários são o rio Ipanema e o rio Cordeiro, e os riachos: do Cafundó, Mimoso, do Xicuru, do Brejo, Salgado, do Pilo, Catimbau, Ilha, do Mororó, Piranha, dos Negros, Queimadas, Cajazeiras, Mulungu, Umburaninha, do Jaburu, do Cágado, das Pedrinhas, Barra, do Pinto, Ipueiras, das Cabras, Caldeirão e dos Martins, todos intermitentes. O município conta ainda com o açude Mulungu, com capacidade de acumulação de 1.280.953 m³.

DISTRITOS E POVOADOS 
  
Buíque é um município brasileiro do estado de Pernambuco. Administrativamente, Buíque é formado pelos distritos sede, Carneiro, Catimbau e Guanumbi e pelos povoados de Tanque, Amaro, Riachãoe e Aldeia Indígena Kapinawa. 


ÁREA INDÍGENAS

 Localiza-se no município de Buíque a Terra Indígena Kapinawá, do povo Capinauá, homologada pelo Decreto de 11.12.98. A terra indígena ocupa 12.403 ha. Desde 2003, o povo indígena têm como Chefe de Posto Expedito Macena Alves. O VALE - O turismo da cidade vem se destacando no cenário nacional principalmente devido a região do Parque Nacional do Catimbau. O vale conta com formações rochosas singulares e tem sido cenário de vários filmes nacionais. A paisagem do local conta com a fauna e a flora típicas da caatinga