quinta-feira, 2 de maio de 2013

Oposição faz blitz em obras de escolas técnicas


A bancada de oposição na Assembleia Legislativa realizou, nesta quinta-feira (2), a terceira blitz de fiscalização a obras do governo estadual. Os deputados Daniel Coelho (PSDB), Terezinha Nunes (PSDB), Betinho Gomes (PSDB) e Severino Ramos (PMN), estiveram em dois locais onde estão sendo construídas as escolas técnicas de Camaragibe e São Lourenço da Mata. A primeira está em fase de acabamento e a segunda não teve as obras iniciadas. Segundo os deputados, as obras estão atrasadas.

De acordo com o líder do PSDB na Assembleia, Daniel Coelho, o governador Eduardo Campos (PSB) anunciou as obras em 2010 com um prazo de 360 dias. A ordem de serviço foi assinada em 2011 e deveria estar pronta em janeiro de 2012, totalizando 16 meses de atraso. "Parece que essas obras estão sendo empurradas com a barriga para o novo governador em 2014. O fim do mandato vai chegar e essas escolas técnicas, promessas de campanha do governador, não vão estar prontas. Enquanto isso, Suape precisa contratar pessoas de fora do estado porque não temos mão de obra qualificada", criticou. 

Já a deputada Terezinha Nunes ressaltou que o estado está tendo dificuldades no que diz respeito a investimento. "Temos conhecimento de que o governador está com a verba reduzida. O dinheiro não está chegando do governo federal. Isso pode ser consequência do palanque político que está sendo montado para 2014. Mas é bem verdade que o estado priorizou a Copa do Mundo e escanteou questões primordiais para Pernambuco como as escolas técnicas", apontou.

Criador da ferramenta virtual da oposição de fiscalização das obras do governo estado, o deputado Betinho Gomes diz que a intensão do Opositômetro é criticar o que está errado. "Em 2010, o governo anunciou a construção de 11 novas escolas técnicas, orçadas em R$ 60 milhões. Foi aberto processo licitatório para a construção de unidades em Araripina, Carnaíba, São José do Egito, Santa Cruz do Capibaribe, Bonito, Bezerros, Gravatá, Camaragibe, Igarassu, Olinda e Lajedo. Cada uma ao custo de R$ 5,4 milhões. Nenhuma está funcionando e vamos continuar cobrando". 

Ainda de acordo com os deputados, mesmo sem entregar as primeiras escolas, o governo abriu novo processo licitatório para contemplar os municípios do Cabo de Santo Agostinho, Arcoverde, Belo Jardim, Buíque, Jaboatão, São Lourenço da Mata, São Bento do Una, Caruaru, Garanhuns, Abreu e Lima, Olinda e Paudalho e algumas delas ainda não tiveram suas obras iniciadas e a questão vai ser discutida em plenária na Assembleia Legislativa.

Sobra dinheiro público e falta projetos dos prefeitos em PE


Por pura falta de preparo e planejamento, vários preitos em Pernambuco devem prejudicar financeiramente os municípios que governam. Apesar do pacote de bondade anunciado recentemente pelo governador para ajudar os 184 municípios através de um Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento Municipal (FEM), o Comitê Gestor do referido fundo analisou inconsistentes os projetos enviados por alguns gestores e solicitou que alguns municípios fizessem ajustes para submetê-los à aprovação. Além disso, o prazo que já terminou, foi prorrogado para sexta (03). A previsão é que já a partir do dia 15 deste mês, as cidades que cumpriram os requisitos recebam dinheiro. O montante de recursos é de R$ 228 milhões. Pelo visto não falta dinheiro para as prefeituras e sim projetos para aplicação dos recursos.

TOME UMA ATITUDE CONTRA O MOSQUITO

CONFIRA FOTOGRAFIAS DE UMA DAS SETE MARAVILHAS DE PERNAMBUCO