domingo, 1 de março de 2015

Sobre o acidente de Jessica Cavalcanti

"Infelizmente a pessoa que cometeu esse absurdo, por conta da impunidade que existe no nosso País, deve nesse momento estar bem à vontade, enquanto nossa amiga (Jéssica) passa por cirurgias, dores e etc" desabafa Roberto Modesto.


Essas são palavras dos amigos, de parentes e de quem presenciou o triste acidente que chegou a fraturar as duas pernas da jovem buiquense Jéssica Cavalcante. Uma jovem educadora, divertida, cheia de sonhos e cheia de vida, que foi vítima da imprudência de quem não sabe o que é a vida, de quem por irresponsabilidade dos órgãos de transito está ai, livre para dirigir sem saber; causar esse tipo de acidente e outros traumas que só sabe realmente quem por isso passa.

Há alguns dias, também sofreu este tipo de acidente a jovem Juliana Araújo, (minha irmã) acompanhada do nosso amigo Didi, o acidente com as mesmas características deste, mas graças ao nosso Deus não houve fraturas, mas a impunidade é sempre a mesma. O condutor despreparado continua sem CNH, sem experiência e com liberdade para conduzir veículos todos os dias colocando em risco à vida daqueles que lutam para tê-la.

No Caso de Jéssica Cavalcanti o ocorrido foi em uma quarta-feira, 18 de fevereiro, a mesma acabava de sair do seu trabalho para tomar café quando ao vir na pista, em sua mão, uma despreparada imprudente apareceu de vez num carro em um cruzamento, não esperou passar a moto que Jéssica pilotava e violentamente causou esse impacto que, ao bater no veiculo a jovem foi arremessada a uma grande distância, causando-lhe fraturas nas pernas, que segundo foi constatado em uma das pernas foi quebrado em 4 lugares e na outra em 1 lugar. Graças a Deus que é tão pai, tão precioso, a mesma sobreviveu para contar a história e lutar para ter sua vida normal.  

Indignada com a situação a jovem Jéssica desabafa em sua página na rede social com o seguinte: “Tem coisas que eu só ouço porque infelizmente é o jeito...... A pessoa estava no trabalho, sai pra tomar café, você vem CORRETAMENTE.... ai vem uma louca quase mata você, atrasa sua vida, ai vem dizer que está sofrendo, que não está dormindo e sei lá mais o que... sofrendo estou eu com duas pernas quebradas, uma delas quebrada em quatro lugares, com dores todos os dias, com cirurgias pra fazer e sem previsão de quando vou andar..... se pôr no meu lugar ninguém quer né! Se depender de mim a justiça vai ser feita e bem feita nem que demore mil anos, Dai-me força, paciência e acima de tudo muita fé meu Deus!”.


"Momento exato do acidente"

Pedimos que Deus abençoe essa jovem que tem um grande futuro pela frente e que é de família guerreira que estão ao seu lado 24hs colaborando para que tudo dê certo. Enquanto isso... Ficamos na grande torcida esperando que a justiça seja realmente feita. Se não, hoje pode ser você, amanhã eu e assim sucessivamente se permitimos que pessoas irresponsáveis continuem nas ruas causando acidentes enquanto ficarmos de braços cruzados sem fazer nada.

Polícia Civil anunciou, neste sábado (28), a prisão de três suspeitos de envolvimento no assassinato de três conselheiros tutelares e da avó de uma criança disputada por duas famílias, em Poção, no Agreste do estado.

Polícia Civil anunciou, neste sábado (28), a prisão de três suspeitos de envolvimento no assassinato de três conselheiros tutelares e da avó de uma criança disputada por duas famílias, em Poção, no Agreste do estado. Eles foram mortos a tiros no dia 6 de fevereiro. Bernadete de Lourdes Britto Siqueira Rocha, 52, e seu filho José Cláudio de Britto Siqueira Filho, 32, tiveram a prisão temporária (com validade de 30 dias) decretada na última sexta-feira (27) por serem supostamente os mandantes do crime. Eles, que são naturais de Arcoverde, no Agreste, são avó paterna e pai da criança de 2 anos que sobreviveu à chacina.

José Cláudio de Britto Siqueira Filho é suspeito de ser um dos mandantes das execuções
Também foi preso na última quinta-feira um homem que teria sido o executor do crime. A identidade dele não foi revelada para não atrapalhar as investigações. De acordo com a Secretaria de Defesa Social (SDS), as diligências continuam. Outros detalhes do crime só serão revelados quando o inquérito for concluído. O caso está sob sigilo. Nesta segunda-feira (02), a polícia divulgará novas informações sobre as prisões.

Entenda o caso
As vítimas, Daniel Farias, 32, Carmen Lúcia Silva, 37, e Lindenberg Nóbrega, 53, e Ana Rita Venâncio, 62 (avó materna da criança). estavam em um carro do Conselho Tutelar de Poção e voltavam de Arcoverde, no Sertão do estado, quando foram surpreendidas. Eles haviam ido à casa do pai pegar a criança, que vivia com ele. A menina ficava com os avós por parte da mãe nos fins de semana,  a cada 15 dias. Após a chacina, nem o pai nem a avó foram mais encontrados.


Na época, a polícia revelou que o primeiro tiro atingiu o condutor, Lindenberg Nóbrega de Vasconcelos, 53, fazendo o carro parar logo na entrada no Sítio Cafundó. A criança de dois anos - única sobrevivente - foi atingida de raspão porque a avó materna conseguiu protegê-la antes de morrer.

O disque-denúncia chegou a oferecer uma recompensa de até R$ 4 mil para quem tiver informações. Os delegados Erick Lessa e Darley Timóteo comandam as equipes de investigação.

Com informações: Diário de Pernambuco

TOME UMA ATITUDE CONTRA O MOSQUITO

CONFIRA FOTOGRAFIAS DE UMA DAS SETE MARAVILHAS DE PERNAMBUCO