domingo, 5 de dezembro de 2010

Ministério Público Federal abre quatro inquéritos civis público contra o Prefeito Zeca e a Prefeitura de Arcoverde.


       A Procuradoria Regional da República em Serra Talhada, abriu quatro inquérito civis públicos para investigar a aplicação de recursos federais enviado à Prefeitura de Arcoverde, sob a gestão do Prefeito Zeca, com base no Relatório da Controladoria Geral de União, em relação aos recursos dos Ministérios da Educação, Saúde, Desenvolvimento Social e Combate à Fome e Integração.
Os Inquéritos Federais foram abertos a requerimento da vereadora Célia Cardoso, após ter acesso ao Relatório da CGU feito para investigar a aplicação dos recursos federais enviados pelos mencionados Ministérios em Brasília, que constatou supostas irregularidades apontadas tanto no Relatório como no Ofício 10353/2006/SE-CGU-PR, da CGU o qual aponta irregularidades na celebração de Convênios celebrados pela 3ª Superintendência Regional da CODEVASF, com a Prefeitura de Arcoverde.
Os inquéritos federais que foram instaurados, se referem ainda às irregularidades encontradas no Relatório da CGU, em programas do Governo Federal no Município de Arcoverde em relação aos Ministério da Saúde, da Justiça, de Combate à Fome e da Educação. O Relatório da CGU constatou também irregularidades relacionadas aos processos de licitação, construção de calçamentos e outras obras que receberam recursos federais, como mostram os Inquéritos Federais números 34//2010, 38/2010, 45/2010 e 57/2010, cujas cópias estão em poder deste blog.
Informa ainda a vereadora Célia Cardoso, líder da oposição na Câmara de Arcoverde, que encaminhou idêntico ao Procurador Regional da República de 2ª Instância, perante o Tribunal Regional Federal da 5ª Região, visando instaurar as respectivas ações penais e civis contra o Município de Arcoverde e o prefeito Zeca Cavalcante, ante as inúmeras e graves irregularidades constatadas no Relatório da Controladoria Geral da União, através dos inspetores federais que fiscalizaram a má aplicação dos recursos federais que são encaminhados à Prefeitura de Arcoverde.

BANCO DO BRASIL DE BUÍQUE

       Convenhamos, mas enquanto Buíque for considerado um "monturo" de Arcoverde, nem um banco de verdade vamos ter, isto por que, em muitos finais de semana, se quisermos fazer algum saque nos "cashs" à disposição da população, ninguém consegue sacar coisíssima nenhuma. Nem mesmo um níquel furado. É necessário que esse "boteco" de Banco do Brasil de Buíque, passe a ser uma agência de verdade, pois do jeito que está não vamos passar nunca de um mero "postinho" da agência de Arcoverde, ou não camaradas? - Assim, não dá para ser feliz! - O jeito mesmo é a população se organizar e pedir providências, inclusive com a interveniência política, para que se dê de vez uma solução a esse descaso com esse "botequim" que chamam de Banco do  Brasil que existe em Buíque. O povo buiquense merece tratamento igualitário e não como "monturo" de Arcoverde. Não estou com isso querendo discriminar a vizinha cidade de Arcoverde, que por sinal a considero uma cidade co-irmã de Buíque, mas tem muita gente metida à besta que não está nem aí para Buíque, inclusive os políticos eleitos e que receberam votos dos buiquenses. É chegada a hora da cobrança, ou não? - Será que Buíque só presta mesmo para dar voto a gente forasteira, é isso? 

Por Manoel Modesto

TOME UMA ATITUDE CONTRA O MOSQUITO

CONFIRA FOTOGRAFIAS DE UMA DAS SETE MARAVILHAS DE PERNAMBUCO