quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Aprovadas, e sem ressalvas pelo TCE/PE todas as contas do vereador e ex-presidente Rômulo Camêlo

Vereadores e prefeitos, principalmente os que  já   vem  de  posse  com vários mandatos,  na verdade estão mais preocupados com o Tribunal de Contas do Estado do que, com as próximas Eleições e, a preocupação se justifica especialmente pelo fato de que, se o político tiver suas contas rejeitadas pelo TCE, além de ficar impedido de disputar uma  futura reeleição terá que devolver os valores corrigidos aos cofres públicos.

Na verdade, em Buíque o vereador e  ex-presidente da Câmara de Vereadores, José  Rômulo Padilha (Rômulo Camelo), se já não tinha nem um motivo para se preocupar, agora que está mais tranquilo do que nunca, no final da tarde desta terça-feira, o Tribunal de Contas do Estado aprovou por unanimidade todas as contas do poder legislativo municipal referente ao ano de 2009, período em que Rômulo foi presidente da casa.
Ao contrario de outros presidentes anteriores que, tiveram suas contas aprovadas pelo TCE com ressalvas, o Tribunal não encontrou nem uma falha  na documentação referente ao ano de 2009 e, sendo assim,  todas as contas do  parlamentar buiquense foram aprovadas, de acordo com as exigências do TCE.

Marcha Pernambuco contra o Trabalho Infantil vai movimentar as ruas do centro do Recife

convite marchaPara marcar a semana da criança, o Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil em Pernambuco (Fepetipe) realiza no dia 10 de outubro, a 1ª Marcha Pernambuco contra o Trabalho Infantil. 

A expectativa é reunir grande número de pessoas para chamar a atenção para essa grave violação de direitos da criança e do adolescente, que atinge mais de 3,5 milhões de brasileiros, segundo dados divulgados recentemente na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD/IBGE).

A concentração para a Marcha terá início a partir das 14h, na Praça Oswaldo Cruz. O percurso segue pela avenida Conde da Boa Vista, ponte Duarte Coelho, avenidas Guararapes e Dantas Barreto, encerrando no Pátio do Carmo. Antes e durante a Marcha, haverá apresentações dos grupos de Dança do Clube de Mães dos Moradores do Alto do Refúgio e do de Percussão do Centro Comunitário Chão de Estrelas. 

Outra novidade será a realização de um Flash Mob, com a música "Criança Não Trabalha, Criança dá Trabalho", que será encenada pelos adolescentes que estarão participando da Marcha. A organização da Marcha também vem se articulando a partir das redes sociais, onde estarão divulgando o evento através da hastag #MarchaPEcontraoTrabalhoInfantil. O objetivo é que as pessoas possam compartilhar mensagens nas redes sociais contra o trabalho infantil. 

O objetivo da Marcha é conclamar a sociedade e órgãos de defesa de direitos a abrir os olhos para a causa do trabalho infantil em Pernambuco, pois muitas vezes esse tipo de trabalho se dá de forma silenciosa e naturalizada. Além da visibilidade ao tema, a mobilização busca chamar a atenção da sociedade acerca de sua responsabilidade no combate ao trabalho infantil.

SOBRE O TRABALHO INFANTIL

O trabalho infantil é um fenômeno com muitas causas e muitas responsabilidades. A falta de vagas nas creches, a má qualidade do ensino e a dificuldade de conter a evasão escolar dos adolescentes contribuem para aumentar o número de meninos e meninas no trabalho doméstico, nos campos e nas ruas, correndo o risco de se envolverem com o tráfico de drogas e a exploração sexual.

Há que se lutar também contra os mitos de que é melhor a criança trabalhar do que ficar na rua e com a realidade das famílias pobres que, muitas vezes, não conseguem garantir sua sobrevivência sem envolver os filhos no trabalho. Há que se avançar com políticas públicas e maior acesso à educação de qualidade. Por isso, governo, empresas e toda a sociedade têm muito para fazer.

SITUAÇÃO NO MUNDO

O recém-publicado relatório “Medir o progresso na luta contra o trabalho infantil”, da Organização Internacional do Trabalho (OIT), sustenta que o número de crianças que trabalham em todo mundo caiu um terço desde 2000, de 246 milhões para 168 milhões. No entanto, esta diminuição não é suficiente para alcançar o objetivo de eliminar as piores formas de trabalho infantil para 2016, uma meta pactuada pela comunidade internacional por meio da ação da OIT.

Segundo o Diretor Geral da OIT, Guy Ryder, “estamos nos movendo na direção correta, mas os progressos ainda são muito lentos. Se realmente queremos acabar com o flagelo do trabalho infantil no futuro próximo então é necessário intensificar os esforços em todos os níveis. Existem 168 milhões de boas razões para fazê-lo”.

Mais da metade das 168 milhões de crianças trabalhadoras no mundo está envolvida em atividades perigosas. Trata-se de trabalhos que põem diretamente em perigo sua saúde, segurança e desenvolvimento moral. O número atual de crianças que realizam trabalhos perigosos é de 85 milhões, diante de 171 milhões que havia em 2000. O trabalho perigoso é frequentemente tratado como indicador substitutivo das Piores Formas de Trabalho Infantil, uma vez que as crianças que realizam estes trabalhos representam a maioria dos incluídos nesta categoria.

SITUAÇÃO NO BRASIL

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD 2012) divulgada no dia 27 de setembro pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou redução no número de jovens de 5 a 17 anos que trabalhavam no Brasil ano passado - ao todo, 3,518 milhões de trabalhadores, menos 156 mil pessoas (4,20%) -, mas revelou que o indicador não recuou em todas as regiões e idades e, em alguns casos, aumentou.

O instituto constatou queda no índice nas faixas etárias até 15 anos, porém descobriu um crescimento de 82 mil jovens no grupo de trabalhadores de 16 e 17 anos. A redução ocorreu basicamente entre homens - apenas 1,28% da diminuição foi de mulheres - no Centro-Oeste e Sudeste, regiões em que a pesquisa, ano passado, encontrou trabalhando 8 mil crianças de 5 a 9 anos a mais que em 2011.

No Nordeste, onde o número global apontou queda de 9,26% (de 1,284 milhão para R$ 1,165 milhão), o indicador se reduziu entre os jovens das faixas de 5 a 15 anos, mas subiu o número de trabalhadores no grupo de 16 a 17 anos - mais 25 mil, um aumento de 4,29%, de 582 mil para 607 mil. No exame por Estado da região, é possível constatar que, no grupo de 5 a 9 anos, houve crescimento no número de trabalhadores na Paraíba e em Sergipe, queda em Maranhão, Piauí, Ceará, Pernambuco, Alagoas e Bahia e estabilidade do Rio Grande do Norte.

LUTO - Professora morta por assaltantes será sepultada hoje em Bom Conselho - Familiares buiquense também estão se dirigindo para o seu sepultamento

Alexandra foi abordada quando ia buscar a filha na escola. Foto: Reprodução/ Facebook
Alexandra foi abordada quando ia buscar a filha na escola. Foto: Reprodução/ Facebook

Será sepultada às 15h30 desta quinta-feira, no Cemitério de Santa Marta, município de Bom Conselho, Agreste de Pernambuco, a professora Alexandra Machado, de 33 anos. Ela foi morta na frente de uma criança de um ano de idade depois de ser feita refém por assaltantes. A cidade está de luto e as aulas foram suspensas em toda a rede pública municipal de ensino. O velório deve começar às 14h, na Igreja Matriz de Bom Conselho.
A família Machado, que reside aqui no município de Buíque, a Srª. Pepê e família estão de saída para a cidade de Bom Conselho,  onde, irão participar do sepultamento da mesma. Aproveitando esta oportunidade, quero em nome de toda minha família desejar nossos sinceros pesares a toda a família machado.  
O crime aconteceu nesta quarta-feira, perto do meio-dia. Cumprindo uma rotina comum a qualquer mãe, chegava à escola onde a filha estuda para buscá-la e levá-la para almoçar. Antes mesmo que pudesse se encontrar com a menina, foi rendida por um bandido e terminou sendo vítima de um dos mais covardes crimes que já viram os moradores de Bom Conselho, a 287 km do Recife, em um dia de terror que parou a cidade.
Alexandra virou refém de um dos dois assaltantes que fugiam da polícia após invadir a agência local dos Correios. Obrigada a dirigir seu carro em direção à zona rural, foi assassinada a tiros durante o percurso e teve seu corpo abandonado ao lado de uma criança de um ano também feita refém. O menino, tomado dos braços de um transeunte para virar o escudo humano do bandido, foi encontrado em estado de choque dentro do veículo, mas já está de volta à sua família. As polícias Federal, Militar e Civil procuram os responsáveis pelo dia de terror na cidade de 45 mil habitantes, que parou em meio à perseguição policial e notícias, ora certas ora desencontradas, da localização dos criminosos.
Segundo o agente da Delegacia de Bom Conselho Bruno Almeida, o assalto aos Correios aconteceu por volta das 11h30, quando dois homens armados de pistolas renderam funcionários e levaram uma quantia de dinheiro não revelada. Após a investida, trocaram tiros com policiais militares chamados a atender a ocorrência. Um dos homens desapareceu em uma mata e o outro rendeu e matou Alexandra. Em seguida, apontou sua arma para um agricultor, tomou sua moto e continuou fugindo. A moto foi encontrada a cerca de um quilômetro.
Ontem à tarde, os funcionários dos Correios prestaram depoimento à polícia. De acordo com o assessor de comunicação da PF, Giovani Santoro, uma equipe com 16 policiais federais de Pernambuco e agentes de Alagoas estão empenhados nas diligências, que têm apoio da PM e da Civil. “Os policiais já colheram algumas impressões digitais no local do assalto, que serão enviadas para a perícia. A agência não tem circuito interno de câmeras. Vamos tentar pegar as imagens de um banco próximo para ver se foram feitos registros dos suspeitos. O inquérito será conduzido pela Polícia Federal”.

TOME UMA ATITUDE CONTRA O MOSQUITO

CONFIRA FOTOGRAFIAS DE UMA DAS SETE MARAVILHAS DE PERNAMBUCO