quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

André de Paula participa de confraternização do PSD em Surubim

A Fazenda Salgado, no município de Surubim - distante 120 quilômetros do Recife -, sediou a confraternização de fim de ano dos vereadores do PSD local, Fred Lafayette, Luciano Medeiros Filho (o Luciano Bomba), José da Costa (o Hulk), Paulo Lima (mais conhecido na região como Paulo do INSS) e Fabrício Brito – anfitrião e presidente da Câmara de Vereadores da cidade. 

Paulo do INSS, André de Paula, Fabrício Brito, Gilvan da Malhadinha, Túlio Vieira, Anselmo Gomes e Lúcio Fabrício
O evento aconteceu nesta quinta-feira, 19, e contou com a presença do presidente do diretório regional do PSD, André de Paula. Também foi prestigiado pelo presidente municipal do partido, Gildácio Batista; pelo prefeito e vice-prefeito de Surubim, Túlio Vieira (PT) e Fabinho Barbosa (PR), pelos vereadores Due de Chico (PR), de Santa Maria do Cambucá; Gilvan da Malhadinha (PSD), de Cumaru, e Eduardo do Cimento (PSD), de Orobó, e demais lideranças da região.

Cipó está com passadas prontas para melhorar a marca na São Silveira


Ele iniciou nas bases menores do GRB, e ainda tem muito chão.
São 8 quilômetros, mas o percurso é sinuoso e com subidas desafiadoras. Cruzar a linha de chegada da Corrida Internacional de São Silveira não é para os fracos. E como nas edições anteriores, mais de mil atletas fazem o grid de largada da prova que acontece domingo agora em Barueri.
Obviamente que todos querem cumprir o trajeto. No caso dos atletas profissionais, o objetivo ultrapassa a linha de chegada – está nos dígitos dos cronômetros. Cada passada é calculada, além da intensa concentração respiratória. O corredor profissional usa estratégia, sabe o momento certo para acelerar ou não.
O Grêmio Recreativo Barueri, que organiza a São Silveira, tem 1.045 atletas que irão para a largada no Terminal Rodoviário do Jardim Silveira no domingo. Desse batalhão que inclui participantes locais, deficientes e caminhantes, tem o grupo de elite. E são 44 atletas profissionais que farão a largada especial da prova.
Ainda não está confirmada a participação do etíope Chala Lelisa Debbete, campeão do ano passado. No entanto, quem está mais que garantido é o barueriense Wellington Bezerra, o Cipó, atleta da casa e que foi o quarto melhor na classificação geral em 2012.
Cipó, 25 anos, foi o campeão da categoria local da São Silveira, mas no ranking geral terminou em quinto lugar – considerando as marcas de todos da elite. Só para medir a importância desse resultado: o campeão etíope fez 23min57, e o barueriense, em 4º lugar geral, cravou 25min10.
Ou seja, Cipó ficou a 1min53 da marca de Chala Debbele. Dono de vários títulos na temporada do GRB, Cipó está com as passadas prontas para encarar os estrangeiros. De fato, ele é a grande esperança barueriense na prova que antecede a histórica São Silvestre, em São Paulo.
Na verdade, muitos atletas profissionais usam a São Silveira como principal trabalho de preparação para a corrida de 31 de dezembro – e isso vale para os estrangeiros.
A organização do GRB revelou que quatro estrangeiros estão agendados para a prova de domingo, mas não divulgou os nomes, justificando que ainda faltavam alguns detalhes técnicos.

Quanto à São Silvestre, o veloz Cipó ainda não sabe se irá participar. “Tive um problema com a inscrição e estou tentando resolver”, contou. (Márcio Silvio)

MPPE ingressa com ação civil por ato de improbidade administrativa contra médicos do Hospital Regional de Arcoverde

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) representado pela promotora de Justiça Ericka Garmes Pires Veras, da 2ª Promotoria de Justiça de Arcoverde, ingressou com uma ação civil por ato de improbidade administrativa contra dois médicos do Hospital Regional de Arcoverde, por utilização indevida de licença médica para afastamento do trabalho. Caso sejam declarados culpados, os médicos podem perder o cargo público, os direitos políticos e ainda ter de arcar com os prejuízos ao erário e pagar multa civil. A ação foi ingressada nesta segunda-feira (16).
De acordo com o documento, o Hospital Regional de Arcoverde enviou notícia ao MPPE dando conta de que médicos funcionários públicos estaduais, lotados naquela unidade de saúde, emitiram atestados médicos para outras pessoas, enquanto estavam de licença médica daquele hospital. “Em outras palavras, apesar de afastados de suas funções no Hospital Regional de Arcoverde por licença médica requerida e deferida pelo Instituto de Recursos Humanos (IRH) do Estado de Pernambuco, os demandados continuavam trabalhando em clínicas particulares”, diz a promotora de Justiça.
A representante do Ministério Público ainda ressalta que o hospital enfrenta inúmeros problemas, dentre eles a reiterada falta ao serviço dos profissionais de saúde, muitas vezes sem motivo, causando prejuízo ao atendimento à população. A situação é tão grave que entre as provas juntadas pelo MPPE estão diversos depoimentos de usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) relatando a ausência de médicos no Hospital Regional de Arcoverde, fazendo com que muitos desses deixassem o local sem atendimento ou tivessem que ser transferidos para outras unidades hospitalares.
“Entende o MPPE que a conduta dos réus, além do evidente prejuízo ao erário, que teve que arcar com suas remunerações durante o afastamento indevido, atenta contra a moralidade administrativa. O caso levado ao Poder Judiciário pelo MPPE exige resposta rigorosa, não se podendo admitir que, enquanto a população sofre, os réus, afastados do serviço público por licença médica inidônea, continuem com seu trabalho em clínicas particulares, e ainda recebendo a remuneração do Estado”, destaca Ericka Garmes.
Para a promotora de Justiça, o pedido do MPPE pela repressão da conduta desses médicos servirá, inclusive, como prevenção de outras. Segundo a promotora de Justiça, no texto da ação, a conduta dos funcionários públicos representados pelo MPPE é imputada a título de dolo. “Ou seja: houve a intenção de lesar o erário e vulnerar a moralidade administrativa”, afirma.
O Ministério Público pediu a perda da função pública, a suspensão de direitos políticos, a imposição da obrigação de ressarcimento ao erário, no valor correspondente à remuneração paga durante a licença médica indevida e o pagamento de multa civil de duas vezes o valor do dano. Ainda segundo a promotora de Justiça, a lei não possibilita acordo nem mesmo arquivamento do caso.

IMAGEM DO DIA: REBELIÃO, SHOW DOS HORRORES EM PEDRINHAS.

Uma rebelião ocorrida na manhã desta terça-feira (17) deixou quatro presos mortos, sendo três decapitados, no CDP (Centro de Detenção Provisória) de Pedrinhas, bairro da zona rural de São Luís, no Maranhão. 
As mortes foram resultado de uma briga entre membros da mesma facção de um bloco, segundo a Secretaria de Estado da Justiça e Administração Penitenciária. Foi a segunda rebelião no Maranhão com assassinatos em dois meses.

Após revista, na qual foram encontradas drogas, facas e outras armas artesanais, a Secretaria de Justiça e Administração Penitenciária identificou os quatro detentos assassinados. Os três decapitados são Diego Michael Mendes Coelho, 21, Manoel Laércio Santos Ribeiro, 46, e Irismar Pereira, 34. O outro detento morto é Gilson Gley Rodrigues Silva, 27. 
Para conter o motim, foram acionadas as equipes do Grupo Especial de Operações Penitenciárias e da Força Nacional de Segurança Pública. O caso será investigado pela Delegacia de Homicídios de São Luís. 
Em outubro, o mesmo complexo penitenciário de Pedrinhas já havia enfrentado outra rebelião, com nove mortes e 16 feridos. A capital maranhense sofreu reflexos com o motim violento: carros foram incendiados e, com medo de que a violência se espalhasse, lojistas fecharam as portas mais cedo

TOME UMA ATITUDE CONTRA O MOSQUITO

CONFIRA FOTOGRAFIAS DE UMA DAS SETE MARAVILHAS DE PERNAMBUCO