quarta-feira, 9 de março de 2016

Onze servidores são exonerados por nepotismo em Arcoverde, diz MPPE

Onze servidores da Câmara Municipal de Arcoverde, no Sertão pernambucano, foram exonerados dos cargos. De acordo com a assessoria de imprensa do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), as funções eram ocupadas por pessoas que tinham relação de parentesco de até terceiro grau com prefeito, vice-prefeito, vereadores e secretários municipais.

G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa da prefeitura de Arcoverde, mas até a publicação desta matéria, não obteve resposta.

O MPPE informou que as exonerações foram realizadas em cumprimento a uma recomendação do órgão. O Ministério recomendou à Câmara que não seja adotada a prática do nepotismo cruzado.
"A prática de nepotismo e favorecimento nos cargos em comissão no âmbito dos Poderes Municipais constitui situação nefasta, que agride e viola de forma frontal e direta os princípios que norteiam o regime jurídico-administrativo", destacou o promotor de Justiça Hugo Eugêncio Gouveia, no texto da recomendação.

O promotor disse - por meio da assessoria - que foi constatado que o cargo comissionado de oficial de gabinete da presidência da Câmara era exercido por um funcionário que é casado com uma sobrinha do presidente da Casa Legislativa.

Para evitar situações semelhantes, o MPPE recomendou que a Câmara de Vereadores passe a exigir - por escrito - que os futuros servidores nomeados da casa declarem que não tem parentesco - de até terceiro grau - com pessoas que ocupem cargos públicos de chefia.

Agreste registra mais de 900 tremores de terra em 14 dias, segundo LabSis

Maior intensidade foi de magnitude 3.8 e ocorreu no dia 23 de fevereiro. 
Reunião foi realizada para acalmar moradores do município de São Caetano.

Do G1 Caruaru
LabSis instala estações sismográficas para monitorar tremores no Agreste (Foto: Reprodução/ TV Asa Branca)LabSis instala estações sismográficas para monitorar tremores no Agreste (Foto: Reprodução/ TV Asa Branca)
Foram registrados 923 tremores entre os municípios de São Caetano e Caruaru, no Agreste de Pernambuco, de 23 de fevereiro até esta terça-feira (8). A informação foi divulgada pelo sismólogo Eduardo Menezes, do Laboratório de Sismologia (LabSis) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Menezes disse ao G1 que o número está dentro do esperado. Ele afirmou que os tremores nem sempre chegam a ser observados. O sismólogo explicou que os abalos acontecem por  "forças que atuam no interior do planeta e provocam movimentos nas rochas fazendo elas se moverem. É assim que se geram os tremores".

Em São Caetano, local em que foi encontrado o epicentro do tremor de 3.8 de magnitude registrado em 23 de fevereiro - o mais forte até então - moradores estão assustados. Os tremores mais recentes que puderam ser sentidos  - de magnitudes 1.8 e 2.4 - foram registrados em um intervalo de três minutos no sábado (5). Os que foram registrados depois não puderam ser observados, conforme Eduardo Menezes.
Para tentar acalmar a população, foi realizada uma reunião em São Caetano com a Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco e a prefeitura. O objetivo foi discutir maneiras de informar a população sobre as consequências dos abalos e o que pode ser feito se os tremores persistirem.

Monitoramento dos tremores
Uma estação sismográfica foi instalada em São Caetano. Uma equipe do LabSis  esteve no município em 29 de fevereiro. "Decidimos instalar estas estações para termos uma precisão maior dos tremores que ocorrem na região. Os sismógrafos foram colocados em torno da área do epicentro do tremor de 3.8", informou Eduardo Menezes..

Eduardo Menezes ainda explicou que com estas estações, os fenômenos que ocorrerem no local poderão ser monitorados à distância pelo LabSis.

Confirmada primeira morte por chikungunya em Pernambuco

Aedes Aegypti JG (Foto: Reprodução: TV Globo)Alto índice de infestação predial pelo mosquito Aedes aegipty é motivo de preocupação em Penambuco.
 (Foto: Reprodução: TV Globo)
A Secretaria de Saúde de Pernambuco confirmou na terça-feira (8) a primeira morte causada por febre chikungunya no Estado. A vítima é uma mulher de 88 anos que estava internada em um hospital particular do Recife. O óbito, de acordo com o boletim epidemiológico, ocorreu em 21 de fevereiro deste ano.
Outro dado assustador está no boletim divulgado pelo Estado: Hoje, 84 das 184 cidades estão correndo risco de surto de arboviroses por causa do alto índice de infestação predial  por Aedes aegypti. E 63 delas já ligaram o alerta. Ou seja, o problema é grave em 80% dos municípios.
Entre os dias 3 de janeiro e 5 de março de 2016, Pernambuco notificou 9.160 casos suspeitos de chikungunya, dos quais 226 foram confirmados. Em 2015, ocorreram 2.605 notificações e 450 confirmações. Os dados correspondem a registros em 151 dos 184 municípios pernambucanos.
Este ano, o Estado também notificou 31.481 casos  de dengue em 179 cidades  e confirmou  4.210 deles. O aumento de notificações  foi de 131,7%,  em relação ao mesmo período de 2015, quando houve 13.587.
Entretanto,  houve uma redução no número de confirmações, que, no ano passado, chegou a 6.989. Os municípios com mais incidência de dengue no Estado são:  Itambé, Poção, Camutanga, Goiana e Sanharó.
Pernambuco também notificou  4.849 casos suspeitos do vírus da zika, mas ainda não há confirmações em 2016.

Câmara aprova projeto que libera uso e fabricação da 'pílula do câncer'

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (8) projeto que permite a fabricação, distribuição e o uso da fosfoetanolamina sintética, conhecida como “pílula do câncer”. O texto segue agora para análise do Senado antes de ir à sanção presidencial.
Desenvolvida pela Universidade de São Paulo (USP) para o tratamento de tumor maligno, a substância é alardeada como cura para diferentes tipos de câncer, mas não passou por esses testes em humanos e não tem eficácia comprovada, por isso não é considerada um remédio. Ela não tem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e seus efeitos nos pacientes ainda são desconhecidos.
A "pílula do câncer" foi distribuída durante anos pela USP de São Carlos. Desde novembro, a distribuição está suspensa por decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo. Atualmente, a substância é estudada pelo Instituto do Câncer de São Paulo, que iniciará testes em seres humanos.
Pelo projeto de lei aprovado pela Câmara, pacientes com tumor maligno poderão usar a “pílula do câncer”, desde que exista laudo médico que comprove a doença. O paciente ou seu representante legal terá ainda que assinar um termo de consentimento ou responsabilidade.

A proposta vai além e também permite a fabricação da fosfoetanolamina sintética mesmo sem registro sanitário.

“Ficam permitidas a produção e manufatura, importação, distribuição e prescrição, dispensação, posse ou uso da fosfoetanolamina sintética, direcionadas aos usos de que trata esta lei, independentemente de registro sanitário, em caráter excepcional, enquanto estiverem em curso estudos clínicos acerca dessa substância”, diz o texto.

O projeto ressalva, porém, que a produção da “pílula do câncer” só pode ser feita por “agentes regularmente autorizados e licenciados pela autoridade sanitária competente”. 

"A burocracia estatal demoraria demais para autorizar o medicamento, e o câncer não espera. O que estamos fazendo aqui é liberando, dando a possibilidade, o direito de tomar a pílula e a possibilidade para aqueles que querem fabricar a pílula", disse o relator da proposta, deputado Marcelo Aro (PHS-MG).

Embora defenda a liberação da substância, o deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) ponderou que ela não tem eficácia garantida e destacou que, se os testes apontarem que a pílula pode oferecer riscos, a autorização para o uso terá que ser derrubada.
"Sabemos que há relatos de melhorias ou bem-estar. Há relatos também de gente que usou e não melhorou. Temos que ser francos para não oferecer uma esperança que pode não se confirmar amanhã", disse o deputado do PT.

Dia da mulher marcado por discursos e homenagem na câmara de vereadores em Buíque

O dia das mulheres em Buíque começou sendo marcado  com homenagens de debates   logo no início desta manhã  no plenário da câmara municipal de vereadores.
Presidida  pelo vereador e então presidente da casa, Felinho da Serrinha , a sessão teve a participação de 11 dos treze vereadores  que ouviram atento  as reivindicações de duas lideres comunitárias representado  as demais mulheres do município em seus anseios.

Com plenário misto, entre  homens e mulheres, cada um dos  pares fizeram o uso da palavra para agradecer e homenagear  as  mulheres em seu dia, enaltecendo o valor que ambas representam na sociedade de modo  geral.

Como  as homenagens do dia foram para as mulheres, o presidente da casa fez questão de convidar sua mãe, dona Maria das Dores para participar do momento significante para todas, e como  o momento para  homenagens, cada mulher presente recebeu um cartão  com uma mensagem  dirigida pelo  presidente da casa, final da reunião foi a vez do coffebreak  que foi servido no andar superior da casa Jorge Domingos Ramos.

TOME UMA ATITUDE CONTRA O MOSQUITO

CONFIRA FOTOGRAFIAS DE UMA DAS SETE MARAVILHAS DE PERNAMBUCO