quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Para presidente do PSDB, Vox Populi está a serviço de um partido


O presidente do PSDB e coordenador da campanha de José Serra à presidência, o senador Sérgio Guerra, fez um pronunciamento na manhã desta terça-feira (19) para criticar o instituto de pesquisa Vox Populi, que, segundo ele, não tem base científica nos dados que apresenta e "está a serviço de um partido". Disse ainda que o instituto promove uma "poderosa" ação combinada para interferir na intenção de voto.
Sérgio Guerra mencionou a pesquisa divulgada pelo instituto a poucos dias da eleição do primeiro turno, cujo números apontavam a vitória da petista Dilma Rousseff, sem a necessidade de um segundo turno. "Desde o começo, houve sempre uma diferença muito grande entre pesquisas e resultados. Eles erraram e começaram a errar mais ainda agora no segundo turno", afirmou.
Na avaliação do PSDB, o erro do instituto no primeiro turno prova que houve uma manipulação dos dados. "Não dá para acreditar que foi um erro. Foi uma safadeza, uma falta de respeito pelas instituições brasileiras", disse.
Para o tucano, não se pode admitir que esta instituição "aparentemente correta" cometa fraudes contra os eleitores. O pronunciamento foi marcado antes da divulgação da última pesquisa Vox Populi, que apontou Dilma com 57% dos votos válidos, contra 43% de José Serra. O senador classificou essa última pesquisa de "sem vergonha".
A preocupação do coordenador nacional da campanha é com a eventual desmobilização de setores que se engajaram na campanha com a ida do Serra para segundo turno.
Guerra fez um pronunciamento curto, porém duro contra o instituto dizendo que não é possível "aceitar calado os números de quem faz campanha para o PT e deixar que eles atuem impunemente". O veneno do tucano jorrou até no presidente do instituto: "Marcos Coimbra não vai eleger presidente. Ele não é o povo."
Ele negou, entretanto, que pretenda tomar alguma medida judicial que impeça a veiculação das pesquisas do instituto. Já na saída quando questionado a respeito do uso que a campanha tucana faz de pesquisas que são favoráveis, inclusive do Vox Populi, ele não respondeu.

Menina de 13 anos é estuprada na frente da mãe em Lajedo


Uma menina de 13 anos foi estuprada na frente da mãe em Lajedo, no Agreste do Estado, na madrugada dessa segunda-feira (18).
Três homens encapuzados invadiram a casa onde mora a adolescente. A mãe da garota, ao ver a cena e ter uma arma apontada à cabeça, acabou desmaiando.
A mãe da menina informou que reconheceu a voz dos estupradores. Leandro Ferreira, 18, e Cleidson Menâncio, 20, tentaram fugir, mas foram localizados no dia seguinte pela Polícia Militar.
Eles afirmaram que outro jovem, Thiago Ferreira, 22, também teria participado do crime. Os três estão presos na cadeia pública de Lajedo.

Corpo é encontrado em Buíque


O corpo foi encontrado na tarde dessa terça-feira (19), na Fazenda Ouro Branco a 3KM de Buíque, no Sertão de Pernambuco.
De acordo com a polícia, a vítima foi encontrada com um tiro na nuca. O corpo é de um homem de aproximadamente 25 anos. Até o momento, o corpo não foi identificado. Ele foi encaminhado para o IML de Caruaru, no Agreste de Pernambuco.

Sindicância aponta novos elos do caso Erenice na Presidência


O esquema de tráfico de influência comandado pelo filho da ex-ministra Erenice Guerra usava não apenas a estrutura da Casa Civil mas também a de pelo menos outros dois órgãos da Presidência da República: a SAE (Secretaria de Assuntos Estratégicos) e o GSI (Gabinete de Segurança Institucional), informa reportagem de Andreza Matais e Felipe Coutinho, publicada nesta quarta-feira pela Folha.
Computadores e funcionários dessas outras duas repartições foram utilizados pelo grupo de amigos de Israel Guerra, filho de Erenice que era peça central do contato de empresários com negócios do governo --cobrando uma "taxa de sucesso" pelo tráfico de influência.

TOME UMA ATITUDE CONTRA O MOSQUITO

CONFIRA FOTOGRAFIAS DE UMA DAS SETE MARAVILHAS DE PERNAMBUCO